Dieta sem Glúten – A minha Experiência

Hoje venho falar-vos um pouco de mim e das minhas mudanças alimentares. Como sabem, a minha alimentação mudou nos últimos meses. Eliminei o glúten e todos os alimentos que se comportam como glúten (aveia, por exemplo), comecei a comer alimentos mais naturais e tenho aprendido muito sobre o meu intestino. Já vos tinha falado da minha nova dieta aqui, onde expliquei como tudo começou e como é a minha alimentação hoje em dia, as mudanças nos meus hábitos e alguns resultados. Hoje partilho mais um pouco do que realmente senti e sinto a mudar no meu corpo!

A primeira resposta à pergunta: “Porque eliminei o glúten?” é simples: Porque o meu nutricionista me passou uma dieta onde não constavam alimentos com glúten. Esta foi a primeira parte. Mas como eu sou muito curiosa com todos estes aspectos, decidi começar a ler sobre o assunto. E descobri o livro Cérebro de Farinha, do Dr. David Perlmutter, que já havia referido neste artigo sobre os Livros que mudaram a minha Vida. A sensibilidade ao glúten é, muitas vezes, silenciosa e pode estar associada a sintomas como dores de cabeça, exaustão, cãibras, dores nas articulações, inchaço abdominal, etc. 

O glúten está presente no pão, massas, algumas farinhas (branca, integral, centeio, espelta), tudo o que deriva do trigo, cevada e centeio. Eliminar o glúten é um processo que, de início, podem achar “doloroso”. Mas a verdade é que de doloroso não tem nada! O nosso corpo é uma máquina e adapta-se facilmente a novos hábitos. Sabiam que demoramos 21 dias a adquirir um hábito? Isto significa que se durante 21 dias seguidos repetirmos um determinado padrão de comportamento, ele torna-se um hábito, rotina, de forma automática. Portanto, se durante 21 dias dermos ao nosso corpo determinados alimentos, ele vai habituar-se a esse tipo de alimentação. Parece simples, não é? 🙂 É tudo uma questão de força de vontade. Determinação. Motivação! E, essencialmente, SAÚDE. 

Confesso que nunca fui muito fundamentalista e sempre achei que eliminar o glúten era uma questão de moda…Mas tinha de experimentar qualquer coisa para acabar com a minha barriga inchada. Era uma constante acordar com um balão na parte inferior do abdómen, sem saber bem porquê, ou chegar ao fim do dia em que as calças já quase não apertavam. Além disso, tinha refluxo gástrico constantemente. Não entendi a razão, porque, para mim, comia muito saudável. Decidi então começar esta nova dieta, sem glúten e sem adoçantes, farinhas, e sabem o que aconteceu? 

O meu corpo começou a mudar. Mas não vou dizer que foi de um dia para o outro, há sempre outras questões envolvidas e é por isso que é tão importante consultar um bom nutricionista. Hoje em dia não acordo com aquela bola na barriga e não acabo o meu dia com a barriga super inchada. E retirar o glúten foi essencial neste processo! No meu caso, tenho outro tipo de sensibilidades e ainda ando em testes alimentares para eliminar excesso de gases. Mas a barriga não está inchada como antes, nunca mais tive refluxo e sinto-me muito mais saudável.

Com isto estou apenas a partilhar a minha experiência, cada um tem o direito de fazer as suas escolhas e perceber o que é melhor para si. O que para mim é saudável, poderá não ser para vocês. Procurar ajuda profissional é muito importante e tenho a certeza que vão conseguir ser muito mais saudáveis com uma alimentação à vossa medida! 🙂

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.