Sobre os meus 30 anos…

Estilo de Vida 0 comments

Se não sabem, ficam a saber que fiz 30 anos faz hoje um ano, a 16 de Dezembro de 2017. Há quem diga que os 30 não mudam nada, mas eu posso-vos dizer que a mim mudou. Não sei se por coincidências da vida, se por serem mesmo 30 anos.

Mudaram muitas coisas:

  • O corpo: senti que o metabolismo abrandou. E não foi, apenas, por não ser tão “obsessiva” com o que como e estar a comer “mais”, foi mesmo porque quando quis perder um ou dois quilinhos, tudo o que sempre fiz e conseguia perdê-los facilmente, agora ficou muitoooo mais difícil. Mas, sinceramente, é o menos importante neste momento.
  • A pressão da idade: sinto que já sou adulta e que a minha vida tem que tomar um rumo. Principalmente, familiar. Confesso que nunca senti o instinto maternal a passar por mim, mas aos 30 comecei a pensar nisso, a pensar que se calhar gostava de pensar nisso num espaço de menos de 5 anos.
  • As decisões difíceis: nos meus 30 anos tive de tomar várias decisões. Foram decisões pessoais, profissionais e familiares.
    • Foi o ano em que decidi afastar algumas pessoas da minha vida, por não terem um papel positivo no meu futuro. O ano em que afastei aqueles que, simplesmente, já não faziam sentido na minha vida. Afastar não significa que não tiveram a sua devida importância, mas cheguei aos 30 com a maturidade certa para poder dizer “não” ao que não me completa e que não me faz feliz.
    • Foi o ano em que decidi agarrar outras oportunidades profissionais (que ainda não se concretizaram, mas que foi tomada uma decisão nesse sentido).
    • Foi o ano em que decidi manter por perto as “minhas” pessoas, as pessoas especiais, as pessoas que acrescentam algo na minha vida. Aquelas que estão lá quando preciso, aquelas que nos amam de verdade, aquelas que dão um brilho especial à minha vida.
    • Foi o ano que tomei a grande decisão de ir viver para o Porto, perto da minha família, da minha melhor amiga e de um novo amor.
  • A mente: aos meus 30 anos decidi voltar a meditar, a praticar yoga e a alimentar a minha parte mais “espiritual”. Ou seja, investir em mim como pessoa, não como trabalhadora ou filha ou amiga ou namorada. Em mim como ser espiritual, na minha essência. Cuidar dos meus pensamentos, cuidar dos meus pontos negativos, alimentar os positivos, alimentar a alma!

Cheguei aos 30 anos com a certeza de que o futuro somos nós que construímos, dia após dia. E para isso tive de tomar decisões…por vezes difíceis, mas com a certeza de que vão ao encontro da minha FELICIDADE! Os 30 significaram AMOR, sobretudo a mim própria; LUTA, pela minha felicidade e CORAGEM, para enfrentar todos os desafios que me foram aparecendo pelo caminho.

Os 31 vão ser de muitas mudanças, da concretização de todas as decisões que tomei. Nunca sabemos o que as mudanças nos vão trazer, mas eu sinto que só me vão trazer coisas boas, muitas alegrias e ainda mais entusiasmo pela Vida ♥

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.